A 2ª fase da campanha de vacinação vem com novidade para o produtor rural, a declaração da vacinação poderá ser feita pelo próprio produtor rural, por meio de acesso eletrônico. Foto: Divulgação
- Publicidade -

A 2º etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa no Tocantins vem com novidade para agilizar ainda mais os serviços prestados aos produtores rurais. A partir do 1º de novembro, o pecuarista poderá comprovar a vacinação do rebanho de forma eletrônica, sem precisar se deslocar a uma unidade da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), como era exigido anteriormente. A carta-aviso poderá ser preenchida pelo acesso ao site adapec.to.gov.br, no link “Produtor Online”.

Para aqueles que ainda não são cadastrados no sistema, é preciso procurar um escritório da Agência para providenciar login e senha. No período em que o pecuarista for fazer a comprovação da vacinação, é só entrar no link e preencher os dados sobre o rebanho de bovinos e demais espécies de animais que existem na propriedade, bem como da nota fiscal de compra da vacina. A declaração é obrigatória e deve ser feita até 10 dias após a compra do produto.

De acordo com o presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha, é mais um avanço no processo de desburocratização dos serviços e da retirada da vacinação antiaftosa, priorizando a segurança e mais facilidade e comodidade aos produtores rurais. “Em 2018 autorizamos o pecuarista emitir a Guia de Trânsito Animal eletrônica (e-GTA), faltava então a comprovação da vacinação também ser online, conseguimos essa conquista com muito trabalho e responsabilidade”, o presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha.

O gerente de sanidade animal, Sérgio Liocádio, explicou que para garantir a veracidade das informações lançadas pelos produtores rurais na carta-aviso, em relação aos dados da nota fiscal da compra do produto, a Adapec publicou a Portaria nº 328/2019 com nova medida para controlar a comercialização de vacinas em lojas agropecuárias do Tocantins, por meio do Sistema Gerencial de Estoque de Vacinas (SIGEV).

Com isso, a instituição obterá relatórios em tempo real, com informações mais detalhadas sobre saldo atual de vacina na casa agropecuária, entradas, saídas e autenticidades das notas fiscais emitidas, bem como maior rapidez nos relatórios de fechamento das campanhas e repasse de informações ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Campanha

A segunda fase da campanha de vacinação contra a enfermidade será realizada entre os dias 1º e 30 de novembro, com a expectativa de vacinar cerca de 4 milhões de bovinos e bubalinos, com até 24 meses de idade.