- Publicidade -

Na tarde de quinta-feira, 31, a Comissão de Assuntos dos Direitos da Mulher, através do presidente vereador Diogo Fernandes, promoveu uma reunião para debater sobre o atendimento e a demanda de mulheres com câncer de mama e a realização da mamografia no município. Nesse mês, em todo país é abordada a campanha Outubro Rosa que faz alusão a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama.

Ao usar a palavra, o vereador chamou atenção da sociedade e órgãos públicos para realização de ações efetivas a prevenção do câncer de mama e o desenvolvimento de novas políticas públicas. “Gostaria que a referência do mês de Outubro Rosa fosse voltada para mais investimentos nessa área. Porque o que interessa para quem está doente é o tratamento efetivo e a dignidade”, pontuou.

Neste ano, o presidente da Comissão destinou emenda parlamentar ao Hospital e Amor de Palmas, mas relatou que desde o dia 19 de junho o processo está paralisado na Secretaria de Saúde e não passou ainda pela Procuradoria Geral do Município. “Essa emenda é importante e ajudará no tratamento de todo tipo de câncer existente, quando o Hospital do Amor estiver funcionando. É preciso olhar para a saúde pública com cautela, pois é um dos setores que mais precisamos investir. Saúde não espera, nem doença”, observou Fernandes.  

O parlamentar lembra que uma grande dificuldade que a sociedade enfrenta é a demora no atendimento, e compara a agilidade da rede particular com a rede pública.  “Sempre defendi que a máquina pública precisa ter metas, se não, não haverá resultados efetivos. O poder público precisa ser mais ágil em relação a saúde”, disse Fernandes, afirmando que enquanto prosseguir na carreira pública continuará defendendo metas dentro do serviço público, para ter responsabilidade com o cidadão que paga imposto.

Participaram da reunião Leyssane Marta Ayres, coordenadora do Núcleo de Prevenção e Assistência a Situações de Violência de Palmas (Nupav/SEMUS), Carla Cavalcante de Sousa, da Liga Feminina de Prevenção e Combate ao Câncer, Mônica Avelino do Hospital de Amor de Palmas, Marta Malheiros, representante da SEMUS e Leila Maria Lopes, representando o Núcleo Maria da Penha (MPE).