- Publicidade -

Nesta quarta-feira, 23, um assunto ganhou a atenção dos veículos de imprensa do Tocantins, já no final do dia, o tema que tratarei neste artigo, esfriou um pouco por uma das grandes paixões dos brasileiros, o futebol, todas as atenções se voltaram para a partida do Flamengo X Grêmio, a decisão de quem iria enfrentar o River Plate na Libertadores chegou ao fim após o 5×0 do Flamengo em cima do Grêmio. Todos os grupos de aplicativos paralisaram, qualquer outro assunto era rapidamente ignorado. Passado a euforia da paixão futebolística, o PSL volta à cena, mas não pelo assunto que tomou as manchetes nacionais nos últimos dias.

Ao leitor que não acompanhou as notícias locais da quarta-feira, 23, vou rapidamente, fazer um resumo:

Exatamente às 16h:05min da última quarta-feira, praticamente todas as redações dos veículos de imprensa do Tocantins, receberam uma pauta assinada por um “suposto” assessor de imprensa que disse representar o PSL/Tocantins e seu presidente, Antônio Jorge. A nota pretendia fabricar um racha do presidente estadual, nacional [Luciano Bivar] e o presidente da República, Jair Bolsonaro. Criando um ambiente de insegurança na sigla através da imprensa.

Ponto.

JORNALISMO SÉRIO

A pauta passaria desapercebida, não fosse a atuação profissional de dois, dos principais veículos do estado, faço questão de destacar o trabalho do Gazeta do Cerrado e do portal AF Notícias, que rapidamente cumpriram a missão de checar a veracidade do conteúdo enviado pelo “suposto assessor”.

QUAL A RAZÃO DESTE EDITORIAL?

Caros leitores, não é a primeira vez que a imprensa recebe uma pauta suja, fico a pensar o que passa pela mente de uma pessoa que usa o seu tempo para produzir esse tipo de estratégia infantil e fraca. A quem incomoda o posicionamento da direita política no Tocantins? Ou essa ação não contextualiza no conceito de ser direita ou esquerda e apenas foi um “fogo amigo” de quem pretende prejudicar Antônio Jorge e tomar a força a direção do PSL no Tocantins? Qualquer que seja a possibilidade, a história humana está cheia de exemplos de movimentações ridículas pela tomada de poder, algumas se tornaram grandes piadas, outras entraram para a história como exemplo de estratégia.

Em um dia de emoções futebolísticas, intriguei-me a escrever sobre o assunto, e de nenhuma forma, deixá-lo passar em branco.

Conversei longamente nesta noite com o presidente estadual do PSL, Antônio Jorge, foram 51 minutos de uma conversa muito produtiva que perpassou este tema e me motivou a escrever com exclusividade sobre outros temas que vão desde as eleições 2020 interior a dentro, como também os bastidores nunca revelados do que foi o pleito de 2018.

Jorge revelou que o PSL pode ter candidatura própria no próximo ano em mais de 80 cidades que já possuem comissões provisórias. Ele revelou ainda que ficou impressionado com a “fake news” disseminada nesta quarta-feira, nas palavras dele, “isso é atitude de um grupo que não cabe numa Kombi”. Afirmando que imagina de onde saiu a atitude baixa, mas que prefere não palpitar, que vai fazer denúncia na Delegacia de Crimes Cibernéticos da Polícia Civil e também na Polícia Federal. Antônio Jorge disse ainda que uma nota oficial será emitida pelo partido nesta quinta-feira, 24.

Minha conversa com Antônio Jorge, foi interessante. Ele foi candidato ao Senado em 2018. Seus mais de 66 mil votos, numa campanha sem recursos, confirmam sua força como líder. “Procurei Carlesse para apoiar Bolsonaro, todas as tentativas não tiveram sucesso, ele ficou em cima do muro, respeitei, mas não compreendi, coisas da política”. Disse.

Entre desabafos e um resumo do que fez na história do Tocantins e que escreverei em breve, Antônio Jorge revela-se uma Fénix da política tocantinense, que se reinventa, aglutina e ressurge com uma força tímida, mas que incomoda nas suas movimentações. Sua atuação pode exemplificar uma fala não política do Papa Francisco: “Uma árvore que cai, faz mais barulho do que uma floresta que cresce”. A frase ganhará contornos de decodificação ao longo de um 2020, que guarda grandes surpresas, mas que, a exemplo da penúltima quarta-feira deste mês de outubro, diz muito do que se pode esperar para o próximo ano.

O que diz o presidente da comissão provisória do PSL em Dianópolis

 

O portal Tocantins Agora, nasceu e tem sua base em Dianópolis, procurei o presidente municipal Henrique Póvoa, sobre a fake news, ele comentou: “No cenário estadual, muitas forças ocultas tentam agir para destruir os esforços de direita que se posicionam no Tocantins. Qualquer pensamento diferente do que vinha sendo feito, incomoda, a exemplo do que foi difundido hoje, uma pessoa se identificou como assessor do PSL e nós agimos rapidamente contra essa tentativa de jogar o partido no Tocantins contra o PSL nacional”. Concluiu o presidente dianopolino.

Sólon Alexandre, líder que é vogal no diretório de Dianópolis e se destaca por sua atuação cívica, também comentou a fake news que pretendia criar internamente um clima de racha no PSL. “Lamento que ainda exista uma atitude de tão baixo nível no meio político, que deveria ser mais polido e ordeiro, quem tenta desinformar e confundir a população, são os personagens da má política, estes, não possuem qualquer compromisso com a verdade. A imprensa tocantinense com sua seriedade está de parabéns pela rápida apuração, aqui destaco e aplaudo a Gazeta do Cerrado e também portal AF Notícias, que não deixaram se alastrar uma informação falsa, não é por acaso que ganham cada vez mais o prestígio dos dianopolinos e dos tocantinenses”. Concluiu.

 

“Pano pra manga não vai faltar”.

Haja o que houver, Stephson Kim, Editor.